DOR DE CABEÇA E MÁ OCLUSÃO

 

Você sabia que dores de cabeça podem ser resultados de uma má-oclusão (encaixe dentário)? Sim, isso mesmo! Essas duas coisas estão intimamente relacionadas!

A oclusão dentária nada mais é do que o engrenamento dos dentes entre si. Nossos dentes devem funcionar como uma engrenagem, e quando esse encaixe não funciona corretamente, diversas consequências são sentidas.

 

O QUE É UMA OCLUSÃO ADEQUADA?

 

Os dentes devem respeitar certas posições na arcada para terem um encaixe perfeito. Quando falamos ou mastigamos forçamos a mandíbula fazendo com que haja certos contatos entre os dentes. Esses contatos tem que ser respeitados, sem nenhuma interferência de outros dentes.

 

Por exemplo: quando levamos a mandíbula para um lado, o ideal é que apenas o canino ou um grupo de dentes desse mesmo lado se toque. Não pode haver contato dos dentes do lado oposto. Assim funciona para quando levamos a mandíbula para o outro lado também.. Quando jogamos a mandíbula para frente, temos que encostar somente os dentes da frente. Caso houver contato dos dentes de trás, é considerado interferência da mordida; um dos principais causadores de dores de cabeça.

dor de cabeça e má oclusão

guia canina esquerda

 

guia canina direita

 

QUAIS OS PROBLEMAS DESSAS INTERFERÊNCIAS NA MORDIDA?

O problema de ter esses contatos interferindo nos corretos movimentos da mandíbula, é que fica incômodo para o paciente. Muitas vezes nos impossibilita de pronunciar palavras corretamente e até mesmo mastigar de forma satisfatória.

 

O que fazemos então para evitar esses contatos interferentes, é, automática e involuntariamente exacerbar os movimentos da mandíbula cada vez que falamos ou mastigamos. Fazemos isso inconscientemente para conseguir falar e mastigar normalmente.

 

Acontece que ao exacerbar esses movimentos mandibulares, exigimos demais da nossa articulação. Assim sendo, sobrecarregamos esta. Nossa articulação sobrecarregada, pode-se  iniciar um processo de inflamação crônica na região, causando zonas de pressão na região ligamentar. Todo esse processo se irradia em dor. Essa dor pode-se alastrar para dores de cabeça, pescoço, ouvido e toda região adjacente.

 

ONDE ENTRA O BRUXISMO NAS DORES DE CABEÇA?

Pacientes que têm interferências na mordida, por si só já têm alterações na articulação mandibular. Caso o paciente ainda tenha bruxismo, as consequências só pioram.

Porque além dos problemas no encaixe dos dentes, esse paciente vai apertar os dentes constantemente, exigindo ainda mais da articulação, e aumentando ainda mais as dores de cabeça e musculares.

Nossa articulação encontra-se em repouso com os dentes entreabertos. Ou seja, os dentes não podem ficar se encostando. Devem ficar a uma distancia de 1-3mm entre si. Essa é uma posição de relaxamento da mandíbula/articulação. Quando fazemos o bruxismo, já estamos “contraindo” a articulação. Ou seja, pressionamos ainda mais a região articular. O que, obviamente, aumentam as consequências danosas para as regiões adjacentes (dores de cabeça, dores musculares, click ao abrir a boca, sensação de ouvido cheio, zumbido, etc…).

Por esse motivo em alguns casos há a necessidade de se usar a placa de bruxismo. Essa placa vai “devolver” esse espaço de 1-3mm, promovendo uma descompressão na região da articulação.

má oclusão

placa de bruxismo instalada

 

COMO SE CORRIGE A MÁ OCLUSÃO?

 

O encaixe dos dentes é corrigido através de aparelhos dentários (ortodontia). É através do tratamento ortodôntico que reposicionamos os dentes de uma maneira em que eles funcionem como uma engrenagem em perfeita sincronia. Devolvendo uma movimentação adequada para a mandíbula.

Com essa engrenagem funcionando bem, chamamos isso de uma oclusão mutuamente protegida. Ou seja, protegemos a articulação através do encaixe correto dos dentes. Isso traz um alívio para a região articular, aliviando muito a dor de cabeça.

Portanto, o uso do aparelho dentário não é somente estético. O componente funcional do tratamento é muito importante para evitarmos dores de cabeça e desconfortos na região do ouvido.