RESPIRAR PELA BOCA – QUAL O PROBLEMA?

 

Sabemos que muitas coisas contribuem para o desenvolvimento incorreto da face da criança; e respirar pela boca é uma delas.

 

O QUE É A RESPIRAÇÃO BUCAL?

Respiração bucal é quando o paciente respira através da boca. Ao invés de utilizar o nariz para fazer a entrada e saída de ar, o paciente utiliza a boca.

POR QUE ACONTECE  A RESPIRAÇÃO BUCAL?

Normalmente pacientes que fazem respiração bucal apresentam alterações nas vias aéreas. Essas alterações acabam impedindo ou dificultando a passagem de ar.  Essas alterações podem ser anatômicas ou simplesmente alérgicas.

respiração bucal

ilustração tecidos moles das vias aéreas

 

Nas alterações anatômicas, podemos citar o desvio de septo como uma das causas mais prevalentes. Aumentos de estruturas “moles” como hipertrofia de cornetos, coanas ou qualquer outra estrutura interna nasal, também são comuns.

Já alterações de origem alérgica são alterações sazonais. Normalmente estruturas aumentam de volume por origem alérgica, tais como rinites.

Essas alterações acabam limitando ou até impedindo o paciente de respirar adequadamente. O que o leva a necessitar abrir a boca para conseguir uma passagem de ar satisfatória.

 

QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS?

 

Quando respiramos pela boca, acabamos necessitando abaixar a língua para que o ar consiga passar pela garganta. Ou seja, deslocamos a língua de sua posição de repouso habitual (no céu da boca), para baixo, apoiada nos dentes ântero-inferiores. Com isso, ao permanecer com a boca aberta, alteramos também a postura muscular da face, causando diminuição do tônus muscular, tanto da língua quanto da face. Essa hipotonia muscular pode causar má posição dentária, mordida cruzada, problemas de fala, dentre outros.

Certamente a mordida cruzada posterior seja a consequência mais encontrada em pacientes com respiração bucal.

Outras características faciais encontradas são a face longa e a presença de olheiras e até mesmo posturais.

respirador bucal

ilustração face de um respirador bucal

 

COMO SE CORRIGE A RESPIRAÇÃO BUCAL?

Normalmente em um exame clínico conseguimos identificar a respiração bucal. Aí precisamos identificar a causa. Para isso muitas vezes necessitamos de exames complementares. Consultar com o otorrinolaringologista muitas vezes é necessário.

Corrigindo a passagem de ar nas vias aéreas, normalmente a respiração bucal se auto-corrige.

Se a causa é alérgica, normalmente com medicações tópicas, conseguimos librar as vias aéreas.

Algumas vezes a única solução é a cirurgia (desvio de septo) ou remoção de alguma estrutura de tecido mole hipertrofiado.

Ortodonticamente falando, pode-se usar um aparelho chamado Hyrax, para ganho de osso maxilar (disjunção maxilar). Esse aparelho pode incrementar em 30% a passagem de ar nas vias aéreas e pode ser de grande valia em alguns casos para tratamento da respiração bucal.

 

Portando a respiração bucal pode trazer consequências desagradáveis para o desenvolvimento da face da criança. Assim que diagnosticada a respiração bucal deve ser tratada, de preferência, multidisciplinarmente.