COMO O APARELHO ORTODÔNTICO FAZ A MOVIMENTAÇÃO DENTÁRIA?

Você já deve ter se perguntado como o aparelho ortodôntico é capaz de mover os dentes através do osso.
Essa é uma pergunta muito corriqueira feita pelos pelos pacientes no consultório odontológico. Como ocorre a movimentação dentária?
Temos que explicar basicamente 2 partes desse processo: A mecânica e a biológica.

 

MOVIMENTAÇÃO DENTÁRIA MECÂNICA

A movimentação mecânica engloba como o aparelho faz a força para mover os dentes.
Basicamente a ativação do aparelho se dá por deflexão ou pressão, seja do fio ortodôntico ou dos alinhadores ortodônticos.
Quando falamos em aparelho fixo, esse aparelho está ativo quando ele faz pressão ou uma deflexão (do arco) sobre o dente.

 A tendência do material do fio ortodôntico para voltar a forma original é que vai fazer a força sobre o dente, trazendo ou empurrando esse dente consigo. Então a força que atua para permitir a movimentação dentária nada mais é do que a pressão que o fio ou elástico exerce sobre aquele dente.

Por esse motivo os materiais usados na ortodontia fixa são extremamente resilientes e apresentam uma memória elástica excelente. Memória essa, que, vai liberar vagarosamente a força sobre o dente para permitir o seu movimento.
Nos alinhadores ortodônticos raramente temos forças de tração. Normalmente o plástico do alinhador faz força de pressão (empurra o dente para o lado desejado) ocasionando a movimentação dentária.

O nível de força precisa ser controlado. Forças muito fortes podem travar o movimento e dificultar o andamento do caso.
Nessa movimentação mecânica, estão incluídos fatores como vetores de força, atrito gerado, ponto de fulcro, centro de resistência, torques, angulações, binários, entre outros fundamentos da física.

 

O bracket contém a informação de angulações e torques necessários para os dentes. Cada bracket possui uma angulação específica para cada dente. O fio ortodôntico é a parte ativa do aparelho. Já a borrachinha apenas prende o fio ao bracket.

 

MOVIMENTAÇÃO BIOLÓGICA DO DENTE

A movimentação biológica explica como aquele dente consegue de movimentar dentro de um tecido duro (osso). Aí que entra a biologia do corpo humano na movimentação dentária.

O dente não está “colado” ao osso. Ele se liga nele através do ligamento periodontal. É esse ligamento que permite a movimentação dentária.

O ligamento periodontal é uma finíssima camada de fibras colágenas, que, portanto, prende o dente ao osso. Nesse ligamento temos vasos sanguíneos, nervos e sensores de pressão. (Por isso que quando mordemos algo duro temos o reflexo de imediatamente parar de fazer força).

As células desse ligamento, juntamente com as células ósseas é que fazem todo o processo de movimentação dentária.
Quando o dente sofre pressão de um lado, ele pressiona o ligamento em uma das paredes do osso. Essa pressão comprime o ligamento contra o osso, fazendo que mediadores químicos sejam liberados para iniciar o processo de reabsorção óssea no local.
Já na região onde o ligamento é esticado (lado contrário da pressão do ligamento), mediadores químicos promovem uma deposição de um osso novo.

movimentação dentária

ilustração de como ocorre a movimentação dentária

Ou seja, na região de pressão do ligamento periodontal ocorre reabsorção óssea. Na região onde ocorre o estiramento do ligamento periodontal, ocorre neoposição óssea. Essa “maré” de movimentos é que vai deslocando o osso adjacente ao dente, permitindo a movimentação dentária.

 

É POR ISSO QUE HÁ DOR NA MOVIMENTAÇÃO DENTÁRIA?

Sim. No início do processo de movimentação dentária, quando a força é recém aplicada ao dente, mediadores químicos relacionados à dor são liberados. Por isso nos primeiros dias após a aplicação da força é normal sentir o dente dolorido. Com o passar dos primeiros dias a dor diminui e o processo de movimentação em si se inicia.

Portanto para se entender como funciona, e mais, conseguir dominar o aparelho ortodôntico, é preciso não só saber biologicamente como funciona, mas dominar todos os fundamentos da física que estão associados na movimentação dentária. Por isso que a ortodontia é uma das especialidades mais sensíveis e difíceis da odontologia. A ortodontia é a única especialidade em que é necessária uma especialização de 3 anos de duração (após os 5 anos de faculdade) para se formar ortodontista.