PRECISO TROCAR MINHAS RESTAURAÇÕES ANTIGAS?

 

Muita gente nos questiona se é necessário trocar as restaurações antigas.

A resposta é que normalmente depende do estado em que se encontra aquela restauração.

COMO SABER SE MINHA RESTAURAÇÃO ANTIGA ESTÁ BOA?

 

Para o paciente é muito difícil fazer essa avaliação em casa. É necessário consultar e fazer um exame clínico criterioso e muitas vezes associado a um exame de RX para identificar algum problema na restauração antiga.

Porém alguns sinais o paciente pode ficar atento em casa mesmo. Tais como:

– Dor ao mastigar: Pode ser sinal de alguma fratura ou trica, tanto na restauração ou até mesmo no remanescente dentário.

– Dor ao passar fio: Pode ser indício de fratura, quebra da restauração, infiltração ou cárie secundária.

– Sensação que a restauração está solta: Pode ser indício de quebra, cárie secundária, ou decimentação da restauração.

restauração antiga

Restauração Solta com infiltração

 

– Acúmulo de alimento entre dentes restaurados: Pode ser indicativo de excesso de material restaurador, degrau na junção dente/restauração ou falta de ponto de contato entre os dentes.

– Sentir a língua raspar em algo afiado: Pode ter havido a fratura ou lascado a restauração antiga. Ou até mesmo o remanescente dental.

– Notar alteração de cor em restauração de resina ou manchamento do dente por restauração de amálgama.

alteração de cor por tatuagem de amálgama e manchamento de restauração de resina

Alteração de cor devido às restaurações antigas

 

UM EXAME CLÍNICO COM O DENTISTA É A MELHOR FORMA DE DETECTAR SE HÁ PROBLEMA NA RESTAURAÇÃO.

 

Através do exame minucioso do dente, muitas vezes combinado com RX, o dentista consegue identificar todas essas situações anteriormente comentadas, bem como identificar se há infiltração.

A infiltração pode ser o primeiro passo para a futura fratura da restauração. Bem como porta de entrada para uma cárie secundária.

 

O QUE É CÁRIE SECUNDÁRIA?

 

É a cárie que se dá por baixo da restauração antiga. Ou seja, ela se inicia na junção dente/restauração com a não remoção da placa bacteriana no local pelo paciente.

Ela acaba deixando o dente oco por dentro, deixando a restauração sem sustentação. Portanto há grande possibilidade de fratura e dor. Podendo muitas vezes evoluir para um tratamento de canal.

restauração antiga

Cáries secundária embaixo da restauração

 

QUANDO O DENTISTA DEVE INDICAR A TROCA DE RESTAURAÇÃO ANTIGA?

 

RESTAURAÇÕES MAL  ADAPTADAS/INFILTRAÇÃO/FRATURA: Quando as restaurações estão mal adaptadas elas são porta de entrada para cáries secundárias e possíveis fraturas. Infiltração também é o primeiro passo para problemas futuros

RESTAURAÇÕES SEM PONTO DE CONTATO: O ponto de contato entre os dentes (aquele clic do fio dental) é importantíssimo para expulsar os restos de alimento. Ou seja, o ponto de contato serve para não permitir que os restos de alimentos fiquem impactados. Dentes sem essa proteção costuma incomodar muito. Isso gera zonas propensas à cárie problemas gengivais.

– ESTÉTICA: Restaurações antigas de amálgama escuras desagradam os pacientes. Caso o paciente deseje a troca delas, hoje em dia dispomos de tecnologia para a troca segura dessas restaurações não importa o tamanho. Porém as vezes precisa-se não de uma restauração simples, mas sim uma restauração feita em laboratório. Restaurações manchadas também podem ser motivo de trocas por novas.

– TRINCAS: Trincas são de difícil visualização, até mesmo no exame clínico. Porém, quando identificadas, deve ser feita a troca da restauração antiga para preservar o restante do dente.

Restauração fraturada e infiltração

 

troca de restauração

Troca de restauração de amálgama por resina

 

Quando a restauração não apresenta nenhum problema, não há motivo para troca das restaurações antigas.